O Lanche Escolar

É comum vermos pais de hoje preocupados com o lanche dos filhos na escola, surgem muitas dúvidas tais como: o que levar na lancheira? melhor levar de casa ou comprar na cantina? O que os colegas vão falar se vê o lanche do meu filho diferente?

São muitas dúvidas para serem esclarecidas, iniciaremos uma sequência de artigos onde iremos dar algumas dicas sobre que fazer e o que não fazer.

Primeiro lugar devemos saber que o lanche escolar é uma extensão da alimentação da criança em casa, se ela não se alimenta bem e saudável em casa, provavelmente não comerá bem na escola e vice versa, além do mais os pais devem ser exemplos para que os filhos optem por alimentos saudáveis.

Mas enfim, após esse puxão de orelha inicial vamos ao que interessa com algumas dicas introdutórias de como montar um lanche escolar saudável e agradável para as crianças:

1. Organize um cardápio semanal para não mandar todos os dias a mesma coisa e cair na tentação de mandar alimentos industrializados.

2. De preferência para frutas que a criança gosta.

3. Coloque biscoitos de arroz integral.

4. Lembre que a hidratação é super importante: água, sucos e água de coco são ótimas opções.

5. Sanduíche naturais, panquecas, tapiocas, pão de queijo são alternativas de lanches saudáveis.

O que evitar na lancheira do seu filho:

1. Alimentos industrializados: sucos de caixinhas, salgadinhos, biscoitos recheados, frituras, guloseimas, refrigerante.

2. Alimentos que a criança não gosta ou não conhece.

3. Colocar sempre o mesmo lanche.

Necessidades Nutricionais Para Adolescentes

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a adolescência compreende a faixa
etária de 10 a 20 anos incompletos e, é caracterizada por muitas transformações relacionadas
aos aspectos físicos psíquicos e sociais: a puberdade é um exemplo bem representativo para
essa fase da vida.

A adolescência é considerada uma fase de crescimento e intensa atividade anabólica,
com isso, são necessárias que estejam presentes os principais substratos mais utilizados, com
construtores (leite e produtos lácteos, carnes, ovos e leguminosas) e reguladores (hortaliças e
frutas).

Vale salientar que a adolescência é marcada por mudanças do modo de se alimentar,
alterações emocionais, busca pela independência. A falta de tempo, influência dos amigos e da
mídia, praticidade e alta ingestão de alimentos processados fazem com que o adolescente
passe a ter comportamentos não tão saudáveis, tais como:

 Pular refeições
 Substituir refeições principais por lanches
 Aumentar o consumo de doces, salgadinhos fritura e refrigerantes.
 Reduzir o consumo de frutas, legumes e verduras, leites e derivados e água.
 Essa inadequação alimentar pode ser determinante para o atraso na taxa de
crescimento e evolução da puberdade, podendo comprometer as necessidades
corporais, nutricionais e emocionais na idade adulta.

Ainda não há um consenso em relação às necessidades nutricionais dos adolescentes. Por
isso mesmo não há até hoje, respostas plenamente satisfatórias sobre estimativas nutricionais
representativas dos pontos de corte ótimos, médios ou mínimos, considerando os estágios do
desenvolvimento púbere e as variações de clima, atividades esportivas, de lazer e de sono que
sejam adequadas durante a adolescência, para se alcançar um estilo de vida considerado
saudável para todos.

Entre os adolescentes de 10 a 19 anos, de acordo com a pesquisa de orçamento familiares
de 2008-2009, detectou-se aumento considerável da proporção do excesso de peso: em 1974-
1975, estavam acima do peso 3,9 dos garotos e 7,7% das garotas, já em 2002-2003 os
percentuais encontrados foram de 18,0 e 15,4%; em 2008-2009 esse valor aumentou para 21,7
entre o sexo masculino e 19,4 entre o sexo feminino, em 2014-2015 esse valor aumentou para
31,3 masculino e 18,7 entre as meninas.

Essa situação aliada à alta frequência de doenças crônicas na vida adulta (cerca de 30%)
indica a importância da implementação de medidas preventivas como o monitoramento
sequencial e continuo do estado nutricional do lactente ao adolescente.

– Recomendações nutricionais na adolescência

A necessidade de nutrientes para adolescente varia de acordo com a idade, o tamanho
corporal, o sexo, o desenvolvimento puberal e a atividade física. Trata-se de um período da
vida em que as necessidades nutricionais são maiores.
As ingestões dietéticas de referencia (DRJ) referem-se a quotas dietéticas diárias
recomendadas para estimar a ingestão de nutrientes de pessoas saudáveis. Estas são listadas
por idade cronológicas e sexo para adolescentes. As DRIs devem ser utilizadas como diretrizes
durante a avaliação nutricional, mas todo conjunto clínico, assim como os indicadores de
crescimento e maturação física devem ser levados em consideração para que haja a
determinação final das necessidades e individuais de nutrientes e energia.

×

Olá!

Clique em um dos nossos representantes para iniciar um chat pelo WhatsApp

×